Catequese

Confira informações sobre a Coordenação Paroquial de Catequese, Diretório Nacional para a Catequese, Novo Diretório, Leitura orante da Bíblia... 

 

Coordenação Paroquial de Catequese

  1. Isabel Zimmermann
  2. Susete da Rosa
  3. Glaci Schoninger
 

Diretório Nacional para a Catequese 

O Novo Diretório tem como objetivo:  Apresentar a natureza e a finalidade da catequese, traçar os critérios de ação catequética, orientar, coordenar e estimular a atividade catequética nas diferentes regiões: 

A finalidade do diretório:

  • De estabelecer os grandes princípios bíblicos teológicos pastorais que ajudam a promover e a renovar  a mentalidade catequética;
  • Coordenar as diversas iniciativas catequéticas
  • Orientar o planejamento e a realização da atividade catequética nos diferentes âmbitos: paróquia, diocese, regional...
  • Articular a ação catequética com a liturgia e com outras pastorais afins;
  • Estimular a ação catequética e promover a educação da fé; 

 

O Novo diretório nos aponta para alguns desafios:

  • A  unidade na pastoral catequética;
  • A formação do catequista como  comunicado de experiência de fé;
  • Fortalecer a unidade do princípio entre fé e vida na ação catequética;
  • O desafio da catequese com adultos;
  • O desafio de uma linguagem da fé mais compreensível às pessoas;
  • Instituir o ministério da catequese na Igreja;
  • Suscitar o gosto pela celebração litúrgica e pela dimensão orante e celebrativa da catequese;
  • O desafio de buscar uma catequese que ajude os catequizando a pensa, recriar, interiorizar valores; 

 

O esquema geral do Novo diretório segue os seguintes passos:

  • Primeira parte: fundamentos teológicos-pastorais da catequese.  
  • Segunda parte: Orientações para a catequese na Igreja particular: destinatários do processo catequético, lugares da catequese e sua organização; o ministério da catequese e seus protagonistas.
    • Capítulo primeiro: As conquistas do recente movimento catequético à luz do concílio vaticano II;-        
    • Capítulo segundo: A catequese na missão evangelizadora da Igreja;
    • Capítulo terceiro: A catequese no contexto da história e da realidade;
    • Capítulo Quarto: fala da mensagem e do conteúdo da catequese;
    • Capítulo quinto: A catequese como educação da fé; o modo de proceder de Deus e a pedagogia catequética;
    • Capítulo sexto: A catequese conforme as idades: com adultos, com idosos, na primeira infância, com jovens e adolescentes...
    • Capítulo sétimo: A catequese na Igreja particular e a formação e perfil dos catequistas
    • Capítulo oitavo: Este capítulo trata dos lugares da catequese, família, comunidade eclesial; e da missão do ministério da coordenação de catequese nos diferentes níveis.Este diretório é destinado aos catequistas, Bispos, padres religiosos e deverá ser de ajuda para darmos uma nova dimensão e qualificar o processo de evangelização e educação e amadurecimento da fé em nossas comunidades cristãs.Dedica grande espaço para tratar dos eixos centrais da catequese: A Bíblia como texto base e principal da catequese; os momentos celebrativos; a unidade que deve haver entre liturgia e catequese; o princípio de interação, fé e vida; a importância da caminhada de fé da comunidade, como lugar e ambiente da catequese e o conteúdo da educação da fé. Ressalta ainda  o grande desafio de uma catequese adulta com adultos, resgatando o catecumenato da Igreja primitiva.

 

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA 

Na sua origem, a Leitura Orante da Bíblia era a leitura que os cristãos faziam da Bíblia para alimentar sua fé, animar a caminhada, sustentar a esperança e crescer no amor.

 

PASSOS PARA A LEITURA ORANTE 

  1. LEITURA: O que o texto diz?(Ler o texto várias vezes em silêncio, em voz alta, em conjunto e procurar compreender o que ele está dizendo). 
  2. MEDITAÇÃO: O que o texto diz para mim, para nós?(Dialogar e atualizar. Trazer o texto para a própria vida e a realidade pessoal e social. O que Deus está me falando? O que o texto tem a ver comigo, conosco?). 
  3. ORAÇÃO: O que o texto me/nos faz dizer a Deus?(Suplicar, louvar, orar. Diálogo direto com Deus. O que dizer para Deus em forma de oração?). 
  4. CONTEMPLAÇÃO: O que o texto me faz enxergar e me leva a fazer?(Saborear, curtir a experiência vivida no encontro com a Palavra de Deus. O que o texto provoca em mim, em nós? Ter o olhar de Deus sobre o mundo, as pessoas e as relações). 
  5. COMPROMISSO E AÇÃO: O que o texto me/nos leva a fazer?(Escutar, amar, agir. Perceber a ação de Deus na história em que vivemos, recriando nova comunhão com Deus, entre as pessoas e com a natureza). 

  

TEXTOS DAS CARTAS DE SÃO PAULO PARA A LEITURA ORANTE 

1. ROMANOS: a salvação vem pela fé - (Rm 1,1-17; 3,1-20; 4,1-25; 6,14-23; 7,1-13; 8,18-23; 15,1-13; 16,25-27)

 

2. CORÍNTIOS:  como superar os conflitos na comunidade - (1Cor 1,3-9; 4,1-5; 11,17-34; 12,4-31; 13,1-13 )  

 

3. CORÍNTIOS:   a força se manifesta na fraqueza - (2Cor 1,1-27; 2,1-17; 3,1-18; 4,1-18; 5,1-21; 6,1-18; 8,7-15; 9,1-15; 12,1-21; 13,1-13)

 

4. GÁLATAS: da escravidão para a liberdade -  (Gl 1,1-24; 2,1-10; 3,1-14; 4,1-20; 5,1-15; 6,1-18)

 

5. EFÉSIOS:  vida plena em Cristo - (Ef 1,13-20; 2,1-22; 4,1-16; 5,21-33; 6,1-9)

 

6. FILIPENSES:  o verdadeiro Evangelho - (Fl 2,6-11;  2,12-30; 4,6-9)

 

7. COLOSSENSES:  Cristo, imagem do Deus invisível - (Cl 1,1-20; 1,21-29; 2,1-23; 3,1-25)

 

8. TESSALONICENSES: fé, amor e esperança -  (1Ts 1,4-10; 2,1-12; 3,1-13; 5,1-11; 5,16-24)

 

9. TESSALONICENSES:  resistência em meio aos conflitos - (2Ts 1,1-12; 2,1-12; 2,13-17; 3,1-18)

 

10. TIMÓTEO:  apelo ao discernimento - (1Tm 2,1-8; 3,1-16; 4, 1-16)

 

11. TIMÓTEO:  combater o bom combate - (2Tm 1,6-14; 3,1-17; 4,6-8)

 

12. TITO:  expressar a fé na vida - (Tt 2,1-10; 3,8-11)

 

13. FILEMON:  em Cristo todos são irmãos - (Fm 1,7-21)

 

A Catequese

Cardeal Geraldo Majella Agnelo

A finalidade da catequese é aprofundar o primeiro anúncio do Evangelho: levar o catequizando a conhecer, acolher, celebrar e vivenciar o mistério de Deus, manifestado em Jesus Cristo, que nos revela o Pai e nos envia o Espírito Santo. Conduz à entrega do coração a Deus, à comunhão com a Igreja, corpo de Cristo, e à participação em sua missão (Cf. Catecismo da Igreja Católica 426-429).

 

O fundamento da catequese é a Palavra de Deus: "Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, fazei meus discípulos todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a observar tudo quanto vos mandei. Eis que eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo" (Mateus 28, 18-20; Marcos 16,15-16).

 

Os apóstolos, transmitindo aquilo que eles próprios receberam do Senhor, exortam os fiéis a manter as tradições que aprenderam, seja oralmente, seja por carta e a combater pela fé que lhes foi transmitida uma vez para sempre. A pregação apostólica é expressa de modo especial nos livros inspirados.

 

A Sagrada Tradição, por sua vez, transmite integralmente aos sucessores dos apóstolos a Palavra de Deus confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito da Verdade. Eles por sua pregação fielmente a conservam, expõem e difundem. Resulta assim que não é apenas através da Escritura que a Igreja deriva sua certeza a respeito de tudo o que foi revelado. "A Sagrada Tradição e a Sagrada Escritura constituem um só sagrado depósito da Palavra de Deus confiado è Igreja (Concílio Vaticano II sobre a Palavra de Deus 9 e 10).

 

A Palavra de Deus gera o cristão e convoca a Igreja. "Toda a Escritura è divinamente inspirada e útil para ensinar, convencer, corrigir e para instruir na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e apto para toda a boa obra" (2Timóteo 3,16-17).

 

Só nos tornamos cristãos revivendo esta experiência originária. Para aderir ao Senhor e participar na Sua vida, é necessário recordar o que Ele fez e ensinou, guardar fielmente a Sua memória e conformar a ele as nossas atitudes.

 

A família cristã é chamada a ser a grande educadora na fé para a vida neste mundo e para a ida eterna. Ela mesma tem a missão de ser um evangelho vivo, uma boa notícia que suscita esperança. Os pais transmitem a fé aos filhos, na simplicidade e no concreto da vida quotidiana. Em conjunto, os familiares testemunham a salvação de Cristo no relacionamento com outras pessoas e na própria comunidade eclesial, em particular através  da catequese dos jovens e adultos. Os pais acompanham os filhos no caminho da iniciação cristã, despertando em si mesmos a graça dos sacramentos.

 

"Entre a grande Igreja e a pequena igreja doméstica, realiza-se todos os dias, por força da presença do Espírito Santo, uma permuta de dons, que é comunicação recíproca de bens espirituais" (J.Paulo II).

 

A catequese é, pois, um dos meios pelos quais Deus continua hoje a se manifestar às pessoas. Ela atualiza a revelação acontecida no passado. O catequista experimenta a Palavra de Deus em sua boca, na medida em que, servindo-se da Sagrada Escritura e dos ensinamentos da Igreja, vivendo e testemunhando sua fé na comunidade e no mundo, transmite para seus irmãos a experiência de Deus.

 

O catequista não prega a si mesmo, mas a Jesus Cristo, sendo fiel à Palavra e à integridade de sua mensagem. Ele é também um profeta, pois faz ecoar a Palavra de Deus na comunidade, tornando-a compreensível. Catequese significa ressoar; a Igreja dá-lhe o sentido de ressoar a Palavra de  Deus hoje.

 

O desafio da Igreja é a evangelização do mundo de hoje, mesmo em territórios onde a Igreja se encontra implantada há mais tempo. Nossa realidade pede uma nova evangelização. A catequese coloca-se dentro desta perspectiva evangelizadora, mostrando uma grande paixão pelo anúncio do Evangelho.

 

O fruto da evangelização e catequese é o fazer discípulos de Jesus Cristo: acolher a Palavra, aceitar Deus na própria vida, como dom da fé. Produzir conversão e seguimento.